O Estranho Mundo de Jack

Muito bem crianças, aproximem-se e tomem seus lugares sentadas nas lápides do cemitério, e tragam suas abóboras e camisas listradas, pois é hora de Tim Burton.

(Título original: The Nightmare Before Christmas)

O estúdio da Walt Disney Pictures apresenta O Estranho Mundo de Jack, de Tim Burton. Um filme musical animado infantil, com duração de 77 minutos aproximadamente. Direção de Henri Selick, produzido e co-escrito por Burton, do ano de 1993.

Trailer em inglês

Concorrendo em 1994 ao Oscar, e perdendo para o venerado Jurassic Park, O Estranho Mundo de Jack é sem dúvida uma das estrelas douradas na testa do Tim Burton. O musical foi cogitado cerca de dez anos antes do projeto do filme acontecer, mas a Disney sempre esteve com o pé atrás, pois a idéia parecia ser macabra e sinistra demais para as crianças. De fato, este é um dos filmes que costumava me botar medo e fascínio na minha época de girininha. Com o inconfundível e único toque de meu diretor preferido, o filme te leva para dentro do mundo dos feriados. Com portais para o Dia de Ação de Graças, Dia de São Valentim, Dia de São Patrício (típicas comemorações americanas), Páscoa e Natal, entramos pelo do Halloween, chegando à cidade tenebrosa de Jack Esqueleto, o rei do susto. Os personagens mórbidos, cantantes e perversos de massinha encantam os tragicômicos. Mas Jack não está satisfeito, e vaga até a Cidade do Natal. Se encanta pela magia da cidade e convence os habitantes do Halloween a terem sua própria versão natalina. Dois dos meus mais queridos personagens, além de Jack, encontram-se Sally, a boneca de pano com um bom coração, e o Oogie (bicho-papão), que me fazia esconder o rosto no cobertor, hehe. 

O elenco inclui Chris Sarandon (Jack Skellington) e Catherine O´Hara (Sally) na versão original.

Cartão postal da cidade do Halloween

No mais, é preciso assistir o filme. O enredo é apaixonante, e se você é um fã do submundo, vale a pena ver, se nunca teve a chance. Pra você que é familiarizado com o queridíssimo Rei da Abóbora, vale rever agora em remasterização digital, ou até mesmo em Blu-Ray. A qualidade do DVD realmente influi no modo como a cidade do Halloween encanta. Como coloquei as mãos na edição de colecionador, nem sequer tive tempo ainda de ver todos os extras e especiais do filme. Vale lembrar aos fissurados por Tim Burton que, embora a decepção, ele esteve muito ausente na produção do filme, deixando-a nas costas de Selick. Então, não se engane quanto ao cenário, personagens e tudo o mais… Desilude saber que Burton tinha outras coisas mais importantes pra cuidar. Mas é um bom conforto ao nosso coração obscuro que pelo menos a idéia geral é dele. Palmas e palmas para o conto de Natal mais legal da minha infância, e um grande abraço para o Burton, que só não me ganha mais do que Beetlejuice no seu passado.

Burton e seus monstrinhos apaixonantes

Sinopse: Entediado com a velha rotina de gritos e sustos, o Rei do Halloween Jack Esqueleto, deseja espalhar a alegria do Natal. No entanto, esta alegre missão coloca Papai Noel em perigo e cria, por toda a parte, um pesadelo para meninos e meninas!

Junte os amigos da noite na sessão nostalgia.

Seguem alguns links pra download gratuito do Estranho Mundo de Jack. Nenhum destes links foi testado, então, boa sorte.

Filmes Para Download (com legenda separada)

Baixar Filmes e Séries (O link do Megaupload está inválido)

Factory Filmes (legenda separada)

Telona (RMVB, Dublado -também é legal assistir-)

Elite Dos Filmes (Avi, dublado, link com trailer)

Alice In Wonderland (3D)

No dia 23 deste mês ainda, fomos eu, Dick, e duas xodós antigas prestigiar o mais novo sucesso dos cinemas… o cobiçado Alice No País Das Maravilhas, em 3D, claro. A compra do ingresso, da sessão das 21:30, no Shopping D, foi totalmente tranquila. A fila e os lugares também não foram ruins. De bunda grudada na poltrona e os óculos bem apoiados no pequenino nariz, começa o espetáculo. Sim, espetáculo. O filme é maravilhoso!

O trabalho é uma parceria de Tim Burton (♥) com os estúdios da Disney, que conta com um elenco de enlouquecer qualquer um! Johnny Depp (♥) como o Chapeleiro, Helena Boham Carter (a esposa de Burton) como Rainha Vermelha e até mesmo a inusitada Anne Hathaway, como Rainha Branca. A Alice ficou um tantinho sonsa para o meu gosto, mas é porquê qualquer ator ao lado destes outros torna-se completamente obsoleto! A atuação de Depp, é, como sempre, genial e impecável, transformando o Chapeleiro completamente, saindo daquela figura irritante e dando vida ao personagem. É sempre hipnotizante vê-lo na tela. Helena Boham Carter está simplesmente hi-lá-ria como a Rainha Vermelha cabeçuda do mundo da fantasia. Trabalha muito bem com seu parceiro, o Valete, dando um brilho especial para qualquer um que fica ao seu lado. Mas o que me supreendeu foi Anne Hathaway, saindo de seus papéis comuns e mergulhando na excêntrica Rainha Branca, com maestria de movimentos, uma bizarrice inédita na aparência, e uma personalização excelente! Estes são os melhores créditos, sem dúvida, deste filme.

Senti que os efeitos (que não são nada fracos, pelo contrário) e personagens digo o mesmo) poderiam ter sido mais puxados para o estilo de Burton, aquele estilo bizarro, meio sinistro, fora dos padrões que tanto adoro. Porém, compreendi que por ser um parceria aos estúdios da Disney, o lado dark de Tim teria de ser um pouco freado. Uma pena. Um coelho branco esquelético e um Gato de Seschire maquiavélico não teriam caído mau. O Gato era até bonitinho, arre. Mas nada que decaia a qualidade perfeita do filme.

Em suma, eu amei. Eu recomendo muito pra quem está louco para ver, e para quem é um fã dos trabalhos de Tim Burton, de Johny Depp, de Helena e de Hathaway. O conjunto foi uma obra-prima.

Valeu cada centavo da inteira 3D que eu tive que desembolsar.