I guess I love you (re-post)

01 de novembro.

Um dia no shopping, com a excelente compania de Dick. Um rapaz com quem eu já vinha há algum tempo cultivando um carinho especial, uma atenção dobrada, um brilho no olhar.

Leva-me para casa, um sorriso no rosto. Toca em minha mão, tímido, e revela-me que pedirá à minha mãe permissão para podermos namorar.

-Quer namorar comigo?

Sim. Era o que queria. Mas eu precisava ser sincera e expor que eu era um risco, uma grande aposta. Um grande risco. Dick recuou. Desci do carro, e tudo estava acabado. Vi-o virar a esquina, e fiquei ali no portão, esperando alguma coisa que não ia acontecer. O estômago embrulhou, os olhos encharcaram-se, e eu subi para um banho quente. Queria esquecer, queria que passasse, mas só tornava-se mais intenso. Disquei o telefone que eu já havia decorado, mas nada parecia ter mudado.

Hora de ir para a igreja. Segurei o rosto para baixo, subi as escadas e topei com um grande amigo. Tyler percebeu que havia algo de errado logo de cara comigo, me puxou de canto. Desabafei, fui sincera, disse que achava que estava tudo acabado, que ele não apareceria. Tyler me apoiou, me arrancou algumas risadas, e disse que achava que ele voltaria.

Neste instante, o carro verde de Dick Grayson estaciona no pé da escadaria. Tyler me deixa, e eu não consigo conter a satisfação de descer cada degrau. Dick ampara minhas mãos…

-Não me importo que seja um risco. Se acabar, verá que fui o homem que te fez a mulher mais feliz do mundo. Assim eu farei.

Selou suas palavras em um doce beijo e assim estava feito. Tudo parecia ter entrado no eixo certo. A aventura estava exposta e pronta para nos receber.

30 de novembro

Meu aniversário. Espero minhas amigas para passarmos uma tarde ótima juntas. Como sempre, são minha família, meu refúgio e fortaleza. Fazem valer a pena. Chega o entardecer, e parentes começam a chegar, felicitando-me. Bubballoo, Vox, Harry, Petit, Lary… Acrescentando minhas queridas Taranee, Hay Lin e Will. A campainha toca mais uma vez, e eu sabia quem era. eu estava terminando de me arrumar, não podendo descer pra atender… Mandei Hay Lin ao portão e ela voltou, insistindo que eu deveria descer. Terminei e assim o fiz. Dick estava encostado no portão de madeira, um parecer sério, bem arrumado, aquela camisa preta que eu tanto gostava. Me cumprimentou e começou, as feições ainda fechadas:

Não consigo ficar quieto quando preciso ser sincero…– eu temi –Eu acho que te amo.– e tirou do bolso um par de alianças.

Pultz, esse negócio prateado no meu dedo tem poder de me deixar feliz. Deve ser porquê lembro de vc… A muito tempo não me sinto tão bem. Na verdade, não me lembro de me sentir tão feliz assim como estou. ♥

___________________________________________________________

01/11/2009

01/11/2010

Just remembering, never mind.

Uma resposta para “I guess I love you (re-post)

  1. Apesar do males, pesares e da furia da maré, carrego no peito algo que esta dentro do coração.

    A Duvida tornou-se uma certeza, e a certeza se fez da mais pura verdade e justificativa do Hoje, no qual, também será apenas uma lembrança, porem como essa!

    E daqui pra frente até a Eternidade de nossas vidas curtas nada mudará.

    Obrigado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s