I wish I knew how it feels to be free.

Hail. E salut. Pronto, já cumpri com a educação do comprimento. Vou ao que me interessa.

Ultimamente tenho pensado muito nos laços, sentimentos e relacionamentos humanos.

Desde pequenos, estamos nesse mundo para convivermos uns com os outros. É por isso que já dentro da barriga de nossa mãe, laços são criados. O amor com que a família lhe espera, o futuro que todos vão querer planejar. Expectativas. Ah, essas infelizes expectativas. Todos então estarão esperando algo de ti quando nascer. Um chorinho, um arroto, uma risadinha, um passo, uma palavra. Cresceu, leva essa moleca pra escola!

Se é criado então dentro das responsabilidades que lhe cabem. Dentro das normas de conduta. Só vai poder ver TV depois que comer os legumes. Mas nada de entrar na água depois! Desligue essa TV e vá para a cama! Você esqueceu que tem horários a cumprir?!

Sim, mamãe. Vou já, faço já. Estarei em casa no horário combinado. Estou tirando boas notas. Prometo que vou me comportar.

Percebe-se que o afeto e respeito criado pelos pais impôem a obediência à ordens que nos são encubidas. Mas nada de tão aterrorizador. Normas e disciplina paterna são necessárias para a educação. Mas até onde pode ir essa situação?

Está crescido, está na escola, já tem amigos! Ah, os amigos! Dão risada, nos divertem, nos consolam, enchem o saco, estão ali para o que der e vier. A vida passa, a escola fica e a faculdade vem. Estão aí pra encher a cara, pra fortalecer o contato e sumir com alguns. Essa amizade de anos! Lembra do pré? Eram tão pequeninos, e já estão procurando empregos!

Mas os laços amigáveis também exigem que se doe muito de si. Mas é tudo preciso para se manter uma amizade verdadeira e que dure com sinceridade ao longo dos anos. É preciso comparecer, ajudar, exigir, vez em quando arranjar um perrenhe, irritar…

Não, eu não tô a fim de sair hoje! Não me interessa se é isso que acha! Eu não agi estranho com vc, só não estou a fim! Ah, puts, terminou o namoro? Certo, então. Quer que eu vá aí?

Falemos então do maior dos relacionamentos que temos na vida, o amoroso. Num romance, ambas as partes se doam quase por completo. O coração, a mente, tudo pertence um ao outro. As expectativas atingem o seu auge, os sonhos são inflados. E o julgamento em cima do sentimento começa a tomar a cena. Ciúmes, possessão. Pra quem ama, as palavras são inevitáveis.

Porquê estava olhando praquela vadia?! Prefere estar com ela? Ah, você quer sair, então?! Saia, que nem ligo pra vc! Isso são horas de aparer, onde você estava que nem podia ter ligado?! Amor? Eu adoro estar assim juntinho com vc, me dá um beijo?

Em todos os casos de relacionamento, seja amigável, familiar ou amoroso, é preciso que doe um pouco de si à outros. Sentimentos, confidências, carícias, sorrisos, momentos. Mas possui um alguém é arriscado. É querer se apropriar de coisas que não são suas, mas que são vitais a outro alguém. Submeter outra pessoa às suas tristezas, à mágoa, não é justo. E devia ser inadmissível!

Um ser humano não devia poder pertencer a outro. Não se pode ser dono de ninguém a não ser de si mesmo e de seus próprios sentimentos!

As pessoas não são objetos a serem possuídos.

Sentimentos verdadeiros perdurarão, com ou sem a ação do tempo, do espaço ou das pessoas. Isto é imutável, ao meu ver de momento. Mesmo que situaçãos se passem, mesmo que a chuva caia, o lugar mude, a distância aumente ou diminua no calor do beijo e do abraço, o sentimento verdadeiro será imutável e não pode ser possuído por ninguém, que não seja o seu criador.

Não ofereça a posse do seu verdadeiro a mor a ninguém e deixe-o sempre vivo junto ao seu peito. Mas compartilhe sem prejudicá-lo. Divida-o sem egoísmo. Ame de verdade.

Não ofereça a posse do seu sentimento de amizade verdadeira. Mas tenha consigo sempre amigos valiosos, ofereça momentos incríveis, inesquecíveis, e apenas o enriqueça, sem desgastá-lo, a seu próprio modo. Dê seu ombro, esolho um outro, e seja um amigo de verdade.

Não ofereça a posse do seu repseito e afeto. Estes são sentimentos a serem valorizados e conquistados, embevecidos como vinho, sem perderem sua extrema valia. Mas para deliciá-los, é preciso moderação e merecimento. É preciso retribuição. Saiba respeitar e será respeitado. Cultive em si o verdadeiro afeto e saberá saboreá-lo.

O verdadeiro sentimento humano é a essência do sentir, do agir e do pensar. É a essência pessoal de cada um, que distingue cada ser, que diferencia cada olhar e nos faz transbordar com emoções indescritíveis. Esta aura não pode conter um outro dono além do seu próprio coração. Deve ser sua para sempre, ou desfalecerá.

A posse do seu próprio sentimento lhe abrirá a liberdade. Escolha ser feliz para consigo e para com o que sente de verdade! Poder escolher as oportunidades e aproveitá-las sem de ferir o sentimento próprio e do próximo é a felicidade infinda.

Mas veja, que não possuir algo não impede de o usufruir.

Não possuir o sentimento completo do amor, do pensamento ou da amizade de alguém não lhe afasta de ser amado ou amá-la. De pensar ou estar em pensamentos. De ser amigo, ou ter um. Isto também não torna o sentimento menos sincero. 

Apenas não lhe dará qualquer direito de posse sobre um outro ser humano.

Esta idéia talvez seja difícil de compreender, ou até mesmo de aceitar, poqruê vivemos numa sociedade que muito preza o bom relacionamento com outras pessoas, e a auto-doação. Como a obediência cega aos superiores, o comprometimento com os amigos ou a vivência do romance.

Mas a verdadeira felicidade como pessoa, sem ser doada a ninguém e apenas sua, ali, na sua mão… Essa felicidade deve ser prioritariamente valorizada. É preciso que se busque a verdadeira felicidade tendo a liberdade de ser e sentir a seu favor.

Mas isso não torna de qualquer maneira menos verdadeira a afirmação…

Que a felicidade só é real quando compartilhada.

Anúncios

4 Respostas para “I wish I knew how it feels to be free.

  1. Muita coisa que você disse é bem verdade, mas tem um pontinho ou outro que eu penso diferente, mas até aí é normal, rs

    Agora, não sei se é pq meu cérebro foi estuprado por ouvir em um dia 5 álbuns do Pink Floyd, mas esses versos:

    “Se é criado então dentro das responsabilidades que lhe cabem. Dentro das normas de conduta. Só vai poder ver TV depois que comer os legumes. Mas nada de entrar na água depois! Desligue essa TV e vá para a cama! Você esqueceu que tem horários a cumprir?!”

    “Sim, mamãe. Vou já, faço já. Estarei em casa no horário combinado. Estou tirando boas notas. Prometo que vou me comportar.”

    “Não, eu não tô a fim de sair hoje! Não me interessa se é isso que acha! Eu não agi estranho com vc, só não estou a fim! Ah, puts, terminou o namoro? Certo, então. Quer que eu vá aí?”

    “Porquê estava olhando praquela vadia?! Prefere estar com ela? Ah, você quer sair, então?! Saia, que nem ligo pra vc! Isso são horas de aparer, onde você estava que nem podia ter ligado?! Amor? Eu adoro estar assim juntinho com vc, me dá um beijo?”

    …são épicos! E super senti vontade de sei lá, gravar alguma coisa como tocar alguma coisa distorcida com sons de guitarra enquanto grito essas palavras, ou então só uma gravação de pessoas dizendo essas frases, mas super acho que dão uma música!!

    Ou então é muito Pink Floyd mesmo na cabeça, e eu preciso dormir, ausauhsauhsuahssua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s