I wish I knew how it feels to be free.

Hail. E salut. Pronto, já cumpri com a educação do comprimento. Vou ao que me interessa.

Ultimamente tenho pensado muito nos laços, sentimentos e relacionamentos humanos.

Desde pequenos, estamos nesse mundo para convivermos uns com os outros. É por isso que já dentro da barriga de nossa mãe, laços são criados. O amor com que a família lhe espera, o futuro que todos vão querer planejar. Expectativas. Ah, essas infelizes expectativas. Todos então estarão esperando algo de ti quando nascer. Um chorinho, um arroto, uma risadinha, um passo, uma palavra. Cresceu, leva essa moleca pra escola!

Se é criado então dentro das responsabilidades que lhe cabem. Dentro das normas de conduta. Só vai poder ver TV depois que comer os legumes. Mas nada de entrar na água depois! Desligue essa TV e vá para a cama! Você esqueceu que tem horários a cumprir?!

Sim, mamãe. Vou já, faço já. Estarei em casa no horário combinado. Estou tirando boas notas. Prometo que vou me comportar.

Percebe-se que o afeto e respeito criado pelos pais impôem a obediência à ordens que nos são encubidas. Mas nada de tão aterrorizador. Normas e disciplina paterna são necessárias para a educação. Mas até onde pode ir essa situação?

Está crescido, está na escola, já tem amigos! Ah, os amigos! Dão risada, nos divertem, nos consolam, enchem o saco, estão ali para o que der e vier. A vida passa, a escola fica e a faculdade vem. Estão aí pra encher a cara, pra fortalecer o contato e sumir com alguns. Essa amizade de anos! Lembra do pré? Eram tão pequeninos, e já estão procurando empregos!

Mas os laços amigáveis também exigem que se doe muito de si. Mas é tudo preciso para se manter uma amizade verdadeira e que dure com sinceridade ao longo dos anos. É preciso comparecer, ajudar, exigir, vez em quando arranjar um perrenhe, irritar…

Não, eu não tô a fim de sair hoje! Não me interessa se é isso que acha! Eu não agi estranho com vc, só não estou a fim! Ah, puts, terminou o namoro? Certo, então. Quer que eu vá aí?

Falemos então do maior dos relacionamentos que temos na vida, o amoroso. Num romance, ambas as partes se doam quase por completo. O coração, a mente, tudo pertence um ao outro. As expectativas atingem o seu auge, os sonhos são inflados. E o julgamento em cima do sentimento começa a tomar a cena. Ciúmes, possessão. Pra quem ama, as palavras são inevitáveis.

Porquê estava olhando praquela vadia?! Prefere estar com ela? Ah, você quer sair, então?! Saia, que nem ligo pra vc! Isso são horas de aparer, onde você estava que nem podia ter ligado?! Amor? Eu adoro estar assim juntinho com vc, me dá um beijo?

Em todos os casos de relacionamento, seja amigável, familiar ou amoroso, é preciso que doe um pouco de si à outros. Sentimentos, confidências, carícias, sorrisos, momentos. Mas possui um alguém é arriscado. É querer se apropriar de coisas que não são suas, mas que são vitais a outro alguém. Submeter outra pessoa às suas tristezas, à mágoa, não é justo. E devia ser inadmissível!

Um ser humano não devia poder pertencer a outro. Não se pode ser dono de ninguém a não ser de si mesmo e de seus próprios sentimentos!

As pessoas não são objetos a serem possuídos.

Sentimentos verdadeiros perdurarão, com ou sem a ação do tempo, do espaço ou das pessoas. Isto é imutável, ao meu ver de momento. Mesmo que situaçãos se passem, mesmo que a chuva caia, o lugar mude, a distância aumente ou diminua no calor do beijo e do abraço, o sentimento verdadeiro será imutável e não pode ser possuído por ninguém, que não seja o seu criador.

Não ofereça a posse do seu verdadeiro a mor a ninguém e deixe-o sempre vivo junto ao seu peito. Mas compartilhe sem prejudicá-lo. Divida-o sem egoísmo. Ame de verdade.

Não ofereça a posse do seu sentimento de amizade verdadeira. Mas tenha consigo sempre amigos valiosos, ofereça momentos incríveis, inesquecíveis, e apenas o enriqueça, sem desgastá-lo, a seu próprio modo. Dê seu ombro, esolho um outro, e seja um amigo de verdade.

Não ofereça a posse do seu repseito e afeto. Estes são sentimentos a serem valorizados e conquistados, embevecidos como vinho, sem perderem sua extrema valia. Mas para deliciá-los, é preciso moderação e merecimento. É preciso retribuição. Saiba respeitar e será respeitado. Cultive em si o verdadeiro afeto e saberá saboreá-lo.

O verdadeiro sentimento humano é a essência do sentir, do agir e do pensar. É a essência pessoal de cada um, que distingue cada ser, que diferencia cada olhar e nos faz transbordar com emoções indescritíveis. Esta aura não pode conter um outro dono além do seu próprio coração. Deve ser sua para sempre, ou desfalecerá.

A posse do seu próprio sentimento lhe abrirá a liberdade. Escolha ser feliz para consigo e para com o que sente de verdade! Poder escolher as oportunidades e aproveitá-las sem de ferir o sentimento próprio e do próximo é a felicidade infinda.

Mas veja, que não possuir algo não impede de o usufruir.

Não possuir o sentimento completo do amor, do pensamento ou da amizade de alguém não lhe afasta de ser amado ou amá-la. De pensar ou estar em pensamentos. De ser amigo, ou ter um. Isto também não torna o sentimento menos sincero. 

Apenas não lhe dará qualquer direito de posse sobre um outro ser humano.

Esta idéia talvez seja difícil de compreender, ou até mesmo de aceitar, poqruê vivemos numa sociedade que muito preza o bom relacionamento com outras pessoas, e a auto-doação. Como a obediência cega aos superiores, o comprometimento com os amigos ou a vivência do romance.

Mas a verdadeira felicidade como pessoa, sem ser doada a ninguém e apenas sua, ali, na sua mão… Essa felicidade deve ser prioritariamente valorizada. É preciso que se busque a verdadeira felicidade tendo a liberdade de ser e sentir a seu favor.

Mas isso não torna de qualquer maneira menos verdadeira a afirmação…

Que a felicidade só é real quando compartilhada.

Anúncios

Sobre Mim, Sobre Você

Observa e conhece o meu pai, a minha mãe, as minhas avós, o meu avô. Pára para imaginar situações e experiências que já vivi, em relativamente pouco tempo. Depois de absorveres toda essa informação, vira-te agora para quem me rodeia, para os meus mais próximos amigos, para todos os namoros que já tive, para aquelas pessoas que “conheço”, sem ter falado mais do que duas vezes com elas.

Toma um pouco do teu tempo para visitares a minha casa, o meu bairro, a minha escola, a casa das minhas avós. Permanece uma semana em cada um desses locais, compreende o seu ambiente! Depois de teres recebido todos estes fatores, aprende a rir-te todos os dias, o dia inteiro! Aprende a sentir o coração apertado quando vês uma criança na rua a chorar; aprende a esboçar um enorme sorriso ao veres um bebé a sorrir quando te vê, aprende a aceitar um corpo cheio de defeitos e aprende a ultrapassá-los todos com uma enorme gargalhada! Aprende a rires-te de ti mesmo…parte o côco a rir quando te vês ao espelho! Ama! Sofre calado, conservando tudo para ti, até chegares a um ponto de rutura e aí comete o erro de descarregares em quem menos merece e de quem mais gostas! Cai, mas aprende a levantar-te, sacudir a poeira e a continuar em frente de cabeça levanta, aprendendo que se calhar é melhor olhar para onde vais!

Apaixona-te pelo que fazes, e sê o mais crítico de todos quando se trata do teu próprio trabalho! Enamora-te pelo teatro e pela escrita e, principalmente, sê sonhador! Sonha o mais alto possível…alto demais até para ti próprio porque só assim irás mais longe!

Depois de teres feito isto tudo que te disse talvez já compreendas um terço da imensa confusão e complexidade que sou interiormente. Mas se não tiveres aprendido, simplesmente a sorrir ao ouvires uma música antiga; a sorrir ao veres o pôr-do-sol da tua janela…se não aprenderes a dar um enorme valor à tua família e aos teus amigos mais próximos… aí estarás muito longe de conhecer me

Texto retirado de Sobre Mim, Sobre Você.

I’ll Follow The Sun!

Um dia você vai olhar e ver que eu me fui
Amanhã deve chover,
então eu vou seguir o sol
Algum dia você vai saber que eu era o cara
Mas amanhã deve chover,
então eu vou seguir o sol
E agora chegou a hora,
então meu amor, eu tenho que ir
E apesar de eu perder um amigo,
no fim você saberá
Um dia você vai descobrir que eu me fui
Mas amanhã deve chover,
então eu vou seguir o sol
Mas amanhã deve chover,
então eu vou seguir o sol
E agora chegou a hora,
então meu amor, eu tenho que ir
E apesar de eu perder um amigo,
no fim você saberá
Um dia você vai descobrir que eu me fui
Mas amanhã deve chover,
então eu vou seguir o sol
I’ll Follow The Sun! ♥ The Beatles

Look up for the sky and see…

Hoje foi… de fato, muito diferente. Me senti diferente. POrquê afinal, foi um dia diferente. Mas no bom sentido! bem, acho que estou me embaralhando… deixe eu ordenar meus pensamentos… hehe!!

Acordei bem, posso dizer até disposta. Ouvindo um bom rock. Queen, é claro que estou falando de queen!!

Dormi a primeira aula na sala de vídeo, num escurinho, com direito à sinfonia de uma apresentação da inconfidência mineira ou algo do gênero. Depois disso, ao voltarmos pra classe, todos pareciam extremamente animados. Piadas, gritaria, palmas, risadas… Uma coisa atrás da outra. Mudamos de lugar várias e várias vezes. Todos brincavam com todos e os professores estavam maravilhosamente bem-humorados, a ponto de participarem da zoeira toda.

Chega ao fim da sexta feira escolar, e todos trocam abraços, risadas e beijos, tomados pelo espírito do feriadão aí na nossa cara. Passo o braço pelos ombros de Hay Lin, que canta descontroladamente alguma melodia qualquer, rindo sem parar, enquanto parecíamos duas bêbadas. No meu fone, irrompe Don’t Stop Me Now.

Olho para o céu ensolarado e pintado de nuvens. O vento brinca com os cachos soltos do meu cabelo bagunçado. Respiro fundo. E olhando praquele reconfortante céu azul de um dia perfeito…

Eu finalmente sorrio em paz.

Tempo Perdido

Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo…

Todos os dias
Antes de dormir
Lembro e esqueço
Como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder…

Nosso suor sagrado
É bem mais belo
Que esse sangue amargo
E tão sério
E Selvagem! Selvagem!
Selvagem!…

Veja o sol
Dessa manhã tão cinza
A tempestade que chega
É da cor dos teus olhos
Castanhos…

Então me abraça forte
E diz mais uma vez
Que já estamos
Distantes de tudo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo…

Não tenho medo do escuro
Mas deixe as luzes
Acesas agora
O que foi escondido
É o que se escondeu
E o que foi prometido
Ninguém prometeu
Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens…

Tão Jovens! Tão Jovens!…

Estávamos simplesmente cantando esta música a plenos pulmões na aula de redação, onde tivemos o tema TEMPO, em estilo livre. Só senti uma vontade enorme de cantar em paz e não me ater a nada. Assim como eu fazia há tanto tempo, como legião sempre me fez tão bem.

Não tenho medo do escuro…

Arquivo de vídeo.

Como é perceptível, posto poucos vídeos pelo blog (até porquê só descobri como fazer isso há pouco tempo… rs). Mas tem gente que me pede links de vídeos que eu gosto, e eu sempre tenho que ficar caçando vídeos pelo youtube. Então, pra facilitar a minha vida, e a vida de quem me pede, estarei postando alguns vídeos aleatórios que ganharam a minha simpatia. Não precisam ganhar a sua, tá? rs…

Na onda dos vlogs, tem gente que realmente tira a criatividade de letra, e diverte a galera. Esse cara teve a genial idéia de fazer um vlog… do Mario! é hilário como ele consegue englobar os problemas da nossa sociedade entre as galáxias e mundo do encanador mais famoso da Nintendo.

Esse vídeo é fenomenal. Pena que não consegui linkar o legendado. Mas praquelas pessoas que já sonharam em matar alguém com uma colher, é o enredo perfeito! rs.



Este último é um Fan Film, sobre como seria pokémon nos dias atuais, com toda a realidade dos filmes holywoodianos. Adorei! completamente bem feito!! Se o filme fosse real de fato, eu com certeza iria até o cinema conferir… rs

Enfim… se depois eu quiser, posto o resto dos vídeos que eu mais assisto. Fiquem aí no ócio internáutico enquanto eu parto…

Fui.