Mantenha a direita.

É inevitável, não é mesmo? Eu sei que é, e você também sabe. Essas escolhas!

Se vai sair, decida para onde, depois com quem, como vai, como volta, com que roupa deverá ir, qual a ocasião, qual o seu humor, se vale a pena e se, por fim, deverá levar uma blusa caso esfrie… O conceito de escolha pode ser menosprezado, uma vez que o ser humano as faz automaticamente, depois de um certo tempo… Mas no momento, é o que mais atormenta.

Eu não falo da cor da blusa que precisa usar no trabalho amanhã, e nem que gravata combinaria com ela… Não falo do que comer no lanche, para não prejudicar o apetite do jantar… Falo de escolhas piores, e ainda assim, sutis, que podem ruir ou embalar toda uma vida.

Se escolho terminar um relacionamento, e então, para onde vou? Machuco o garoto, faço com cuidado, grito de uma vez, choro ao telefone, falo firme e decidida, retorno as ligações ou nunca mais me preocupo? E as consequências disso tudo?

Se escolho uma faculdade, e então, o que faço? Gasto meu tempo e esperanças estudando, escolho mecânica, escolho pedagogia, presto a federal, pago uma particular, saio para o boteco, passo a noite estudando? E se não for o meu curso?

Quanto ao meu futuro então, quem dirá, uma vez que as certezas ao meu redor começam a ruir?

Quer saber? Escolha o que lhe parecer  o melhor. Não pelo dinheiro, nem pelas opiniões, não pelas consequências, ou pela crítica, pela segurança ou pela incerteza. Escolha-a porque simplismente escolheu. Porque por alguma razão, decidiu. Afinal, arrisque-se a ser feliz pelos caminhos que lhe forem oferecidos. Perca-se se preciso! Se manter as migalhas por trás, será fácil reconstituir o caminho.

Não vou perder meu tempo parada em questões que só me gerariam mais dúvidas, me levando logo a uma possível depressão ou loucura. Escolherei e pronto. E este será meu guia e meu porto.

Basta agora que eu me decida em quê me apoiar, se será em uma carreira, se será em um sonho, se será em alguém. E se for, em quem?

Quem sabe seja melhor que eu mantenha a direita… Embora me pareça estar andando em círculos.

Anúncios

3 Respostas para “Mantenha a direita.

  1. Tomar uma decisão sobre algo, vai além de escolher entre A ou B, requer consciência e convicção para escolher um caminho a seguir. Dessa forma não vai ter problema se caso precisar voltar atrás ou seguir em uma outra direção. Claro que ao pegar um caminho errado você perde tempo e em alguns casos pode adquirir conseqüências que vai precisar reparar. Mas seja otimista, ao menos já sabe que essa não é a direção. Esse é o grande barato do livre-arbítrio: “A capacidade de escolha”.

  2. Aaaaahh não acredito!
    É exatamente sobre isso que aquele post se trata, você não pára de fazer isso!
    E nem gostaria que parasse, rs

    “Quer saber? Escolha o que lhe parecer o melhor. Não pelo dinheiro, nem pelas opiniões, não pelas consequências, ou pela crítica, pela segurança ou pela incerteza. Escolha-a porque simplismente escolheu. Porque por alguma razão, decidiu. Afinal, arrisque-se a ser feliz pelos caminhos que lhe forem oferecidos. Perca-se se preciso! Se manter as migalhas por trás, será fácil reconstituir o caminho.”

    O caminho que você escolhe é o seu caminho, e nada mais. Suas palavras são perfeitas com as minhas. Acerte, erre, preze sua felicidade. Seja lá o que acontecer, é o seu rumo, essa é você.

    Pirei, tudo que você escreveu aqui remete ao meu texto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s